3 de dezembro de 2009

bilhete no varal I





Querido anônimo: admiro sua coragem em querer saber quem sou, mas não consigo imitá-la. Por isso, este bilhete por dentro do vão da porta é grande ousadia para mim. Eu preferiria o vão da janela, mas elas estão muito cerradas ultimamente; eu também. Porém, atendo ao apelo do seu silêncio e ofereço um meu-segredo: amo as janelas. Entenda que o fato de amá-las diz quase tudo sobre mim... resta-nos saber se sua amizade compreende o discurso daquilo que não foi dito.





Um comentário:

Sawae disse...

Prima linda, te sinto mais perto ao te encontrar nas palavras.
Identifico-me com elas e recrio minha realidade!
Coloquei esse trecho no meu profile, mas 'linkei' seu blog lá.

Um beijo, na bochecha!

Tati.