9 de maio de 2010

varal de um dia chamado três-de-maio

.



Toda história tem dois lados, pelo menos: o de quem leu e o de quem escreveu. Dias desses, ouvi uma. Final previamente conhecido:

_O mocinho morre no fina-al, lá-lá-lá-lá-láa-lá!

Foi o que disse minha consciência me-zombando antes mesmo do "Era uma vez...".

E o mocinho morreu mesmo! E o pseudo-bandido ficou lá, todo prosa.

O mocinho, antes de cumprir o destino escolhido pelo escritor, ficou todo verso e solfejou:

_Mas será o desfecho desta história o fim de TUDO?

O autor não soube responder e calou o bandido. Só não conseguiu calar o leitor.


.

2 comentários:

jefhcardoso disse...

Não sei se o desfecho de uma história é o fim de tudo, porém saber o final de um filme sem tê lo assistido, é sem graça, não é?
Tenha uma boa semana, Viviane.
Abraço do Jefhcardoso!
http://jefhcardoso.blogspot.com

Robson Schneider disse...

hahaha adorei isso!O leitor nunca deveria calar-se... afinal o protagonista é ele né?